Sob protestos, Jutahy confirma apoio do PSDB a Chinaglia

O líder do PSDB na Câmara, deputado Jutahy Junior, anunciou nesta quinta-feira, na sede do PSDB em Vitória, o apoio formal do partido à candidatura de Arlindo Chinaglia (PT-SP) à presidência da Câmara. Jutahy justificou que o apoio do PSDB foi fechado a partir de uma ampla consulta a todos os integrantes do partido e da orientação entre os tucanos de sempre respeitar a proporcionalidade dos partidos na Câmara. O anúncio de Jutahy Junior foi feito na presença de Chinaglia e mais um grupo de tucanos. Jutahy contou que sete deputados do PSDB participaram da consulta. "Ouvimos até quem estava no exterior", contou ele, referindo-se ao deputado Antonio Carlos Panunzio, que se encontra fora do País. Cada um dos sete tucanos cuidou de sua região.O apoio a Chinaglia, informou Jutahy, ficou configurado nesta quinta-feira, por volta do meio-dia. Imediatamente, disse, ele ligou para o líder do PFL, Rodrigo Maia, e em seguida para o atual presente da Câmara e candidato à reeleição, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e depois para Chinaglia. "Eu vou para aí (Vitória)", disse Chinaglia, conforme relato do líder do PSDB. DescontentesO anúncio de apoio à candidatura de Chinaglia deixou descontente uma ala de deputados do partido, que pretende se reunir na próxima terça-feira, em Brasília, para tomar uma posição sobre o assunto. "Ele (Jutahy) tem legitimidade como atual líder da bancada, mas ele não é líder da bancada para a qual eu fui eleito, que assume em fevereiro e que elegerá o novo presidente da Câmara", protestou Duarte Nogueira (PSDB-SP), eleito para o primeiro mandato como federal.Ele e outros deputados, a maioria da bancada paulista e de estados do Sul do País, estão entre os que pedem uma maior discussão entre os tucanos sobre o apoio do PSDB ao próximo candidato à presidência da Câmara.Nogueira negou que tenha sido ouvido na consulta feita por Jutahy Junior e por outros deputados do PSDB à bancada, a qual teria se manifestado pró-Chinaglia. "As eleições da Presidência e da Mesa da Câmara não podem se definir exclusivamente por nomes. Temos de ter uma postura compatível com o que a sociedade espera de nós (deputados) e fazer uma ampla discussão", disse Nogueira. "E a bancada do PSDB precisa, antes de tudo, se reunir, escolher o seu líder e definir qual será o ponto de defesa dela no Congresso antes de qualquer coisa", concluiu o deputado federal. Carta de protestoMinutos depois do anúncio oficial feito por Jutahy Júnior, o deputado federal Silvio Torres (PSDB-SP), reeleito para mais uma legislatura no parlamento, divulgou uma carta aberta aos deputados de sua legenda, contestando esse apoio e propondo a antecipação da eleição do novo líder da legenda na Casa para o dia 30 deste mês.Segundo Torres, o anúncio feito por Jutahy "não reflete a decisão final de todos os deputados federais eleitos". Além disso, ele argumenta que a bancada federal do PSDB não decidiu ainda qual candidato à presidência da Câmara vai apoiar e que não houve consulta a todos os deputados que justifique tal comunicado oficial (o apoio a Chinaglia)."Da mesma forma que parte da bancada possa vir a apoiar Chinaglia com o argumento da proporcionalidade, é público e notório que outros preferem a candidatura de Aldo Rebelo (PC do B) e, uma outra corrente, está trabalhando para encontrar uma nova alternativa, que ficou conhecida como 3ª. Via, que se comprometa em defender mudanças na condução do Legislativo Federal, em sintonia com as expectativas e os anseios da sociedade", destacou o parlamentar na carta aberta. Torres propõe, inclusive, que diante deste episódio, a eleição do novo líder do PSDB seja antecipada para o dia 30 deste mês, para "que o debate sobre a sucessão na Câmara seja encaminhado e a bancada anuncie a decisão oficial."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.