Soares lamenta privatizações em encontro com Dilma

O ex-presidente e ex-primeiro-ministro de Portugal, Mário Soares, criticou na manhã desta segunda-feira (10) o programa de privatizações que o atual governo vai realizar, cedendo à iniciativa privada ações de empresas como a companhia aérea TAP e dos Correios. Mas, ainda que seja contrário à venda, saudou a possibilidade do Brasil participar do processo.

ANDREI NETTO, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

10 Junho 2013 | 11h40

As declarações foram feitas por Mário Soares logo após o encontro realizado na manhã desta segunda-feira (10) com a presidente Dilma Rousseff, que faz hoje o segundo dia de sua visita a Lisboa, onde prestigia os últimos eventos do Ano do Brasil em Portugal. Ao sair da reunião, o ex-presidente e líder histórico do Partido Socialista (PS) falou aos jornalistas, quando reclamou do programa de privatizações realizado pelo atual premiê de centro-direita, Pedro Passos Coelho.

O governo português "está vendendo barato tudo o que há", segundo Mário Soares, referindo-se às companhias de capital público. Questionado sobre a eventual participação de empresas brasileiras, estimuladas pelo governo de Dilma, o ex-presidente afirmou: "O Brasil pode sempre, mas vamos ter de sair da crise por nossos próprios meios".

Mário Soares também se disse "muito impressionado" pela presidente brasileira, com quem teve seu primeiro contato. "Somos camaradas, de pensamento próximo, de esquerda", afirmou. "Ela tem pensamento muito claro."

Além do ex-presidente, Dilma se encontra em Lisboa com o atual presidente de Portugal, Cavaco Silva, e com Passos Coelho, com quem deve tratar de assuntos da agenda bilateral como investimentos mútuos e da eventual participação de companhias brasileiras no processo de privatizações.

Mais conteúdo sobre:
DilmaPortugalflash

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.