Só ao PT interessa o 3º mandato, não ao Lula, diz analista

Para Fernando Abrucio, partido teme perder espaço na coalizão em 2010 por não ter candidato competitivo

Gisele Silva, estadao.com.br,

07 de novembro de 2007 | 15h15

A proposta de um terceiro mandato - tão discutida e rebatida nos últimos dias - interessa somente ao PT, e não ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, avalia o cientista político Fernando Abrucio, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Diante da possibilidade de o PT não ter um candidato competitivo em 2010, explica Abrucio, o partido usa o tema para se fortalecer dentro da coalizão governista com medo de que outros - como o PMDB - apresentem alternativas melhores.  Veja também: Ouça entrevista com Fernando Abrucio   Lula promove 'Operação Desmentido' sobre 3º mandato, diz 'El País' Por ordem de Lula, PT sepulta terceiro mandato "É um episódio que tem mais a ver com a relação do PT com a coalizão e com a tentativa de se manter no poder. Foi isso que criou esse processo (discussão sobre o terceiro mandato). Não veio do Planalto, vem do PT", reitera o cientista político. Por trás dessa estratégia do partido, prevalece a idéia de "como não tem o que será possível, vai o Lula mesmo", diz Abrucio.  "Há uma situação muito complicada para o PT. O PT não tem candidato à sucessão do Lula. E se houver algum candidato vindo do PT, não será do PT, será do Lula. Será algum ministro do Lula. O PT perdeu o controle desse processo chamado 'lulismo'. O próprio Lula pode escolher outro candidato da coalizão, como o ministro Nelson Jobim", afirma o cientista político. E, segundo ele, mesmo uma candidatura petista, como a da ministra Dilma Rousseff, não interessa ao partido.  Segundo ele, esse assunto de terceiro mandato é ruim para o Lula porque dá argumentos para a oposição bater no governo e inflar o assunto, sobretudo agora em meio às negociações em torno da aprovação da CPMF no Senado. "A oposição está muito perdida hoje no processo político. Não consegue encontrar uma agenda de embate com o governo Lula. Quando vem esse assunto da reeleição, 'é sopa no mel'. É um tema obviamente desgastante para o presidente Lula. Dá oportunidade para a oposição criticar o governo", diz. Vale lembrar que na última terça-feira, o presidente do PT, Ricardo Berzoini, e o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) encontraram Lula. Este último é autor do projeto sobre a convocação de plebiscitos que pode ter como tema a consulta sobre um eventual terceiro mandato. Segundo relatos do encontro, Lula tratou de "dar um puxão de orelha" no partido e pediu para que se coloque um ponto final na idéia.  Abrucio reitera que o tema da reeleição do Lula 'é sopa no mel' para a oposição e diz que as chances reais de uma proposta como essa ser aprovada são "reduzidíssimas". "Nessa briga entre PT e PSDB, o Lula ficou no meio do caminho. Ficou quase como aquele juiz do boxe em que os dois vão bater e acertam o Lula. Ele tem dito que não quer e a tendência é que não queira mesmo. É muito custoso para ele. Talvez ele tenha que bater mais forte no PT para que isso não ocorra", finaliza.

Tudo o que sabemos sobre:
Terceiro mandatoFernando AbrucioLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.