ALEX SILVA/Estadão
ALEX SILVA/Estadão

Skaf diz que acordo é importante para torná-lo conhecido

"PSD e PP são muito bem-vindos, porque preciso me tornar conhecido, precisamos de tempo de televisão e rádio", declarou

ANA FERNANDES E WLADIMIR DANDRADE, Estadão Conteúdo

08 de agosto de 2014 | 17h29

O candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, disse que a decisão do PP de Paulo Maluf de apoiá-lo foi partidária. "Houve uma decisão do PP, no último dia, por 12 votos a um, por nos apoiar", disse nesta sexta-feira, ao participar da série ''Entrevistas Estadão''.

O candidato admitiu que a decisão é uma aparente contradição do PP, que apoiou Geraldo Alckmin (PSDB) em 2010 e, neste pleito, ia apoiar Alexandre Padilha (PT) - com quem Maluf já havia posado para uma foto.

Skaf justificou que as alianças são necessárias para que ele se torne conhecido. "PSD e PP são muito bem-vindos, porque preciso me tornar conhecido, precisamos de tempo de televisão e rádio". O candidato havia dito pouco antes que entrou na vida política porque cansou de apenas reclamar "de fora" da corrupção e ineficiência da gestão pública.

Sobre o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, Skaf teceu elogios. "Kassab é um competente parlamentar, tanto que criou o PSD, e sem dúvida será um grande representante", disse, sobre o candidato a senador em sua chapa. O candidato do PMDB ao governo de São Paulo é o quinto convidado da série com os principais concorrentes ao Palácio dos Bandeirantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.