Situação do DF exige atenção para não afetar vida do cidadão, diz ministro

Segundo Luiz Paulo Barreto, o governo federal está atento para que a vida do cidadão não seja afetada na área segurança pública

Agência Brasil

08 de abril de 2010 | 12h42

O Distrito Federal ainda convive com um quadro de indefinição política que envolve necessidade de observação do Ministério da Justiça, e de atenção por parte do Governo Federal quanto à segurança pública local. A afirmação foi feita pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, em entrevista concedida nesta quinta-feira, 8, ao programa Bom Dia, Ministro, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Tony Panetone e Bezerra Dourada disputam eleição

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Governador pode ser eleito com apenas sete votos

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Cúpula do DEM quer desistência de seu candidato ao governo do DF

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/especial_azul.gif Entenda a operação Caixa de Pandora

 

Segundo ele, o governo federal está atento para que a vida do cidadão não seja afetada na área segurança pública, "embora tudo esteja correndo de forma normal" nessa área. Ele disse que, enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal acompanha a situação do DF para definir se haverá necessidade de intervenção federal, "em caso de instabilidade política".

 

Luiz Paulo Barreto informou que já encaminhou à Polícia Federal relatório recebido do ministro Jorge Hage, da Controladoria Geral da União (CGU), em que são apontadas 177 irregularidades na área da administração pública do DF.

Ele informou que parte desse relatório deve ser acrescentado ao inquérito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que constatou irregularidades no Executivo local. A outra parte das irregularidades detectadas pela CGU irá compor inquéritos específicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.