Situação de Lupi deverá ser definida em outro momento

Presidente Dilma Rousseff não quis responder qualquer pergunta sobre a situação do ministro do Trabalho

Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2011 | 14h43

BRASILIA - A presidente Dilma Rousseff não quis responder qualquer pergunta sobre a situação do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, e evitou a imprensa, ao deixar a cerimônia de lançamento do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, realizada no Palácio do Planalto. A solenidade acontecia ao mesmo tempo que o ministro Lupi prestava esclarecimentos no Senado sobre as denúncias de irregularidades na pasta.

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, por sua vez, desconversou sobre a possibilidade de saída de Lupi e disse que não acompanhou o depoimento do ministro porque também estava participando da solenidade no Planalto. "Eu não acompanhei (o depoimento de Lupi). Eu estou aqui desde cedo. Tenho certeza que o ministro Lupi está dando as suas explicações. Não tenho nada para comentar sobre isso", afirmou a ministra, se esquivando de falar sobre o tema.

No Planalto, a avaliação é de que, embora a situação do ministro Carlos Lupi seja delicada, não há disposição da presidente Dilma de afastá-lo do cargo, neste momento. Apesar de alguns parlamentares do PDT terem pedido a saída de Lupi do cargo e o partido não ter chegado a um consenso sobre um nome para sucedê-lo e já ache que seja melhor ele sair, auxiliares da presidente acreditam que a situação do ministro poderá ser definida em outro momento, a não ser que surja alguma nova denúncia contra ele.

O fato de Lupi não ter apresentado as explicações com "elementos materiais" que a presidente Dilma havia pedido ontem, por enquanto, isso não está sendo considerado fato determinante para a sua saída. A situação é de avaliação do quadro e espera da evolução dos fatos.

Tudo o que sabemos sobre:
Carlos LupiMinistério do Trabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.