Sírio-Libanês recupera certificado de filantropia

O hospital Sírio-Libanês readquiriu o status de entidade filantrópica. Depois de ter o pedido de renovação do certificado negado pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), o hospital recorreu à Justiça. No dia 27 de março, liminar concedida pela 6ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal determinou que a renovação fosse feita. A polêmica, no entanto, não acabou. O presidente do CNAS, Antônio Brito, já avisou que vai recorrer. "Eles não cumpriram os requisitos para ter o certificado. Está na lei e ela tem de ser cumprida", afirma Brito.Um decreto presidencial determina que para ser considerada filantrópica, e com isso garantir isenção de encargos trabalhistas, a entidade de saúde tem de destinar pelo menos 60% do atendimento para pacientes do Sistema Único de Saúde. Não é o que faz o Sírio-Libanês. "Essa meta está totalmente fora da realidade", afirma o presidente do conselho médico do hospital, Raul Cutait . "Não cumprimos e não vamos cumprir." Embora esteja conveniado com o SUS para fazer cirurgias cardíacas pediátricas, o hospital não coloca em prática o convênio. "Em contrapartida, somente no mês de março destinamos 16% de nosso faturamento para atendimento gratuito de pacientes", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.