Síria acusa EUA de prejudicarem negociações de paz

O ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid al-Moallem, acusou os Estados Unidos de "tentarem criar um clima negativo para o diálogo" na segunda rodada de negociações de paz em Genebra, que terminou neste sábado.

Agência Estado

16 de fevereiro de 2014 | 13h05

As reuniões entre o governo do presidente da Síria, Bashar Assad, e a oposição encerraram sem encontrar uma saída para o conflito que já dura quase três anos. Os comentários feitos por Walid al-Moallem foram divulgados pelo serviço estatal de notícias enquanto a delegação síria voltava da Suíça para Damasco.

Violência

Dois países informaram neste domingo episódios violentos envolvendo a Síria. Um porta-voz do exército jordaniano disse que dez atiradores sírios abriram fogo contra as tropas que patrulham uma área de fronteira isolada no norte. Segundo ele, os soldados atacados revidaram, ferindo sete atiradores e prendendo três.

O porta-voz se recusou a revelar a identidade dos envolvidos, mas revelou que o ataque ocorreu na tarde de sábado em uma área isolada que não é usada por refugiados sírios que tentam fugir para a Jordânia. Esta é a primeira vez que o país relata publicamente um ataque armado da Síria.

Também neste domingo, a agência de notícias oficial do Líbano afirmou que soldados encontraram um carro-bomba carregado perto da fronteira com a Síria.

O motorista teria fugido do veículo ao avistar um posto de controle na estrada. Quando os peritos militares foram revistar o carro abandonado, encontraram uma grande quantidade de explosivos. De acordo com as autoridades, o veículo veio da região síria de Qalamoun, que faz fronteira com o Líbano. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SÍRIAGENEBRAVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.