SIP também questiona liberdade de imprensa no Brasil

Ao se manifestar nesta quarta-feira sobre a decisão do governob rasileiro de cancelar o visto do jornalista Larry Rohter, do New York Times, a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) relacionou o fato a outros "incidentes contrários à liberdade de expressão" que estariam ocorrendo na Venezuela.O presidente da Comissão da Liberdade de Imprensa da entidade, Rafael Molina, disse que é preocupante verificar que enquanto na Venezuela um empresário do setor jornalístico teve uma propriedade expropriada e um jornalista enfrenta um tribunal militar, no Brasil ocorre o cancelamento do visto do correspondente americano. Molina considerou "inapropriada" a atitude do governo brasileiro. "Com esta decisão se põe em dúvida a verdadeira existência da liberdade de expressão no Brasil", disse.O representante da SIP, que tem sede em Miami, nos EUA, lembrou a Declaração de Chapultepec, uma espécie de decálogo sobre liberdade de expressão e de imprensa, na qual se afirma que "nenhum meio de comunicação ou jornalista pode ser penalizado por difundir a verdade ou formular críticas ou denúncias contra o poder público".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.