Martial Trezzini/Keystone via AP
Martial Trezzini/Keystone via AP

Sinto 'pena' pelo Brasil sob governo Bolsonaro, diz Bachelet a TV

Declaração da comissária para Direitos Humanos da ONU é resposta a ataque do presidente brasileiro contra Alberto Bachelet, torturado e morto durante ditadura chilena

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2019 | 16h44

A comissária para Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile, disse sentir "pena pelo Brasil". A declaração foi feita em uma entrevista para uma TV local, conforme reportou a agência de notícias Reuters. A fala remete ao ataque feito pelo presidente Jair Bolsonaro contra Bachelet e seu pai, Alberto, torturado e morto durante a ditadura de Augusto Pinochet

"Então se alguém diz que em seu país nunca houve ditadura, que lá nunca houve tortura...bem, então deixe ele dizer que a morte do meu pai por tortura garantiu que o Chile não se transformasse em uma Cuba. A verdade é que eu sinto pena pelo Brasil", afirmou a ex-presidente do Chile em entrevista a TVN, que será transmitida mais tarde.

No início do mês, Bolsonaro acusou Bachelet de se "intrometer" em assuntos do Brasil, após ela levantar preocupações sobre o salto no número de mortes provocadas pela polícia do Rio de Janeiro. Nas redes sociais, o presidente brasileiro afirmou que o golpe militar que derrubou o presidente chileno Salvador Allende em 1973 "deu um basta" à esquerda no país, "entre esses comunistas o seu pai (Alberto Bachelet), brigadeiro à época”.

Bachelet também disse ter observado (no Brasil) "uma redução do espaço cívico e democrático, caracterizado por ataques contra defensores dos direitos humanos, restrições impostas ao trabalho da sociedade civil". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.