Sindicatos pedem em Curitiba CPI para investigar Richa

A Frente Popular contra a Corrupção, formada por sindicatos e movimentos populares de Curitiba, iniciou hoje uma série de manifestos com o objetivo de mobilizar a população para pressionar os vereadores a assinarem o pedido de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suposto caixa dois nas eleições do ano passado, vencida pelo prefeito Beto Richa (PSDB), além de falsificação de assinaturas. "Queremos que os vereadores entendam que essa é uma responsabilidade da Câmara", disse a diretora do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Alessandra Cláudia de Oliveira. Por enquanto, a oposição tem seis dos 13 votos necessários.

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

29 de junho de 2009 | 18h52

Durante o ato realizado na Boca Maldita, no centro da capital paranaense, a frente colocou vários televisores no calçadão, onde foram reproduzidos vídeos que revelam que candidatos a vereador pelo PRTB teriam desistido de suas candidaturas mediante recebimento de dinheiro não declarado à Justiça Eleitoral e cargos na prefeitura, para dar apoio a Richa. Após a divulgação das imagens, a prefeitura demitiu seis funcionários comissionados e retirou os cargos de confiança de dois concursados.

Em entrevista à rádio BandNews, o prefeito voltou a dizer que as denúncias fazem parte de uma armação política. "Sou vítima de meu sucesso", disse. Ele já havia dado a declaração na semana passada, quando foi à Procuradoria Geral da República (PGR) pedir rapidez e rigor nas investigações. "As velhas raposas não querem apear do poder, por isso usam armações, vídeos clandestinos, denúncias forjadas", afirmou Richa, sem citar qualquer nome.

Tudo o que sabemos sobre:
Beto RichasindicatosCPIPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.