Sindicatos param empresas por salários em Sorocaba

Manifestantes bloquearam avenida e obrigaram trabalhadores a descerem dos ônibus

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2009 | 18h19

Um protesto organizado pelo Conselho Sindical atrasou em duas horas o início do turno da manhã, nesta sexta-feira, 14,, nas principais empresas de Sorocaba. Às 5 horas, os sindicalistas bloquearam a avenida Carlos Reinaldo Mendes, principal acesso do distrito industrial, e obrigaram os trabalhadores a descerem dos ônibus. De acordo com o coordenador do Conselho, Milton Sanches, cerca de mil operários aderiram à manifestação.

 

O transporte foi liberado por volta das 7 horas. Em seguida, os sindicalistas realizaram uma manifestação na praça Fernando Prestes, região central da cidade. O grupo saiu em caminhada pelas ruas São Bento e XV de Novembro. Nos dois locais foram distribuídos panfletos com apelos contra as demissões e pela melhoria dos salários.

 

"O momento é de reação contra os efeitos da crise financeira mundial que se alastra pelo país, pois não é justo que o trabalhador pague por uma crise que não foi ele que criou", afirmou Sanches. Ele disse que os trabalhadores reivindicam a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem diminuição do salário, redução nas taxas de juros e negociação salarial. A Polícia Militar acompanhou as manifestações. O Conselho é formado pelas centrais sindicais e sindicatos independentes.

Tudo o que sabemos sobre:
Sorocabasindicatosprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.