Sindicato não consegue mobilizar fiscais da Receita

A paralisação de 72 horas dos auditores fiscais da Receita Federal contra a reforma da Previdência não atingiu o nível desejado pela direção do sindicato da categoria em seu primeiro dia. "Queremos intensificar a partir de amanhã (hoje)", disse o presidente do sindicato, Norberto Antunes Sampaio. Segundo ele, cerca de 30% a 40% paralisaram suas atividades. Os servidores do Banco Central decidiram encerrar a greve na manhã de hoje, mas permanecem em assembléia permanente, podendo retomar o movimento a qualquer momento. No Hospital de Clínicas, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), cerca de 60 dos 2,1 mil servidores aderiram a greve, segundo a assessoria de imprensa do hospital. Mesmo com o baixo índice de adesão, foi necessário suspender algumas cirurgias eletivas, pois o maior número de grevistas está no Centro Cirúrgico.Várias categorias paralisadas participaram na tarde de hoje de uma discussão sobre a reforma previdenciária, organizada pelo sindicato dos docentes do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet). Os professores da UFPR tinham assembléia na noite de ontem, quando discutiriam a possibilidade de greve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.