Sindicato dos Metalúrgicos do ABC sai em defesa de Lula: 'inocente'

Ex-presidente iniciou carreira política no sindicato, na década de 70; entidade fale em 'perseguição política' e 'condenação sem prova'

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2017 | 17h43

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC divulgou nota nesta quarta-feira, 12, após a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o título "Lula é inocente". O sindicato fala em "condenação sem prova" e "perseguição política", assim como a nota divulgada pelo PT. Lula iniciou  sua carreira política à frente do sindicato na década de 1970.

A nota fala que a perseguição política ao petista começou na década de 70, mas diz que "o auge (da perseguição)" "está se consolidando em um processo jurídico-político, com o apoio sistemático da imprensa comercial".

Sem citar diretamente o juiz Sérgio Moro, que deu a sentença, o sindicato criticou o fato de a condenação vir um dia após a aprovação do texto da reforma trabalhista no Senado. "O anúncio de sua condenação em data certa e planejada é também a tentativa de abafar os efeitos nefastos que as mudanças nas relações do trabalho terão sobre os trabalhadores", diz a nota. 

A nota fala, ainda, sobre a trajetória política de Lula e diz que o ex-presidente "sempre esteve ao lado dos trabalhadores".

Lula foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. A condenação do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, é a primeira do ex-presidente na Operação Lava Jato. Moro não decretou a prisão de Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.