Sindicato denuncia más condições de hospitais em SP

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (Sindsaúde) apresentou nesta terça-feira um documento com denúncias sobre as condições de funcionamento em 18 hospitais e postos de saúde do Estado. Os problemas vão desde número inadequado de funcionários, falta de medicamentos e material cirúrgico até infiltrações em salas de cirurgias e aparelhos de diagnóstico por imagem quebrados.A lista de irregularidades foi recolhida pelos próprios funcionários, ao longo do mês de maio. ?Queremos mostrar como o governo desrespeita sistematicamente a saúde de toda a população, estamos no caos?, disse a presidente do sindicato, Sônia Takeda. O documento foi apresentado em plena campanha salarial da categoria.A Secretaria de Estado da Saúde informou, por meio da assessoria, que somente se manifestará sobre as denúncias depois de receber do sindicato uma cópia do documento. Ainda na nota, a secretaria diz estranhar o fato de o sindicato divulgar as denúncias antes de fazer um comunicado oficial.?Não é bem assim. Há tempos estamos alertando representantes da secretaria sobre a falta de condições adequadas de trabalho?, afirmou Sônia. Ela informou que como funcionários recebem gratificações, estabelecidas pelos superiores, há grande receio em fazer denúncias. ?Mas agora colocamos fim à lei do silêncio.?Dos 18 hospitais visitados, o Darcy Vargas é o que está em piores condições, segundo informou Sônia. ?Lá faltam kits para exames e até mesmo álcool.? O documento lista também problemas no hospital Vila Nova Cachoeirinha. De acordo com funcionários, lá faltam aparelhos de pressão e colchões para macas. O sindicato pretende incluir no documento informações sobre todos os hospitais da rede de saúde ? 45 no Estado ? e encaminhá-las para o Ministério Público.Em assembléia nesta terça-feira, representantes do sindicato declararam estado de greve. Entre as reinvidicações, está a adoção de um plano de carreira multiprofissional. Um projeto prevendo a reestruturação das carreiras foi preparado no ano passado e aguarda encaminhamento para a Assembléia Legislativa. Na segunda-feira, o governo informou que está avaliando as reivindicações da categoria e um parecer será dado no dia 10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.