Sindicalistas vão dormir na Comissão do Trabalho

Dirigentes sindicais decidiram na noite desta terça-feira pernoitar no plenário da Comissão de Trabalho da Câmara após a sessão ser encerrada em meio a muita agitação. O deputado Paulo Paim (PT-RS) solicitou ao presidente da Comissão, deputado Freire Júnior (PMDB-TO), que providenciasse a transmissão da sessão ao vivo, pela TV Câmara. Com isso, dezenas de dirigentes sindicais que acompanhavam a sessão tumultuaram os trabalhos, exigindo, aos gritos, a presença da TV Câmara.Ante o tumulto, Freire Júnior decidiu encerrar a sessão e marcar nova reunião para esta quarta-feira pela manhã, avisando que apenas os parlamentares poderão ingressar no local do encontro. Incitados por parlamentares da oposição, os dirigentes sindicais resolveram dormir no plenário.O vice-líder do governo na Câmara Ricardo Barros (PPB-PR) protestou pela maneira como se portavam os deputados oposicionistas e avisou que iria denunciar a todos por quebra de decoro parlamentar. O relator do projeto, José Múcio Monteiro (PSDB-PE), saiu da reunião recomendando que os líderes do governo desistissem de votar o projeto na comissão.Ele lembrou que o prazo da urgência constitucional vence na próxima semana e que, necessariamente, a partir de terça-feira, a matéria terá que ser apreciada pelo plenário da Câmara. "Essa é matéria para o plenário (da Câmara), não adianta insistir mais na Comissão", advertiu Monteiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.