Monica Bernardes
Monica Bernardes

Manifestantes fazem ato pró-Lula em cidades do Norte e Nordeste

Além de Salvador, militância presta solidariedade a ex-presidente no Recife, São Luís, Aracaju, Manaus e Porto Velho

Cleusa Duarte, Monica Bernardes, Diego Emir, Heliana Frazão, José Maria Tomazela e Marcia Oliveira, Especiais para O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2018 | 09h43
Atualizado 24 Janeiro 2018 | 16h06

Várias capitais do País fizeram atos de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira, 24, do julgamento de recurso do petista contra condenação por suspeitas de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). O recurso começou a ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, às 8h35.

Em Salvador, um pequeno grupo se encontrou em frente ao Fórum Ruy Barbosa, no bairro de Nazaré, no centro da capital baiana, para acompanhar a sessão. Lideranças da Central Única dos Trabalhadores (CUT) informavam que haverá concentração em outros pontos da cidade, ao longo do dia.

Houve manifestação também na Avenida Caribé, de acesso ao Aeroporto de Salvador, com bloqueio da pista, impedindo o tráfego dos veículos que se dirigiam ao terminal aéreo. Em Vitória da Conquista, terceira maior cidade do Estado, manifestantes ocuparam a praça Vítor Brito. As cidades de Tapiramutá e Andaraí amanheceram com faixas e cartazes em solidariedade ao ex-presidente.

+ AO VIVO: Julgamento de Lula no TRF-4

+ Movimentos agrários realizam manifestação pelo País em defesa do ex-presidente Lula

RECIFE  

No Recife, cerca de 1,5 mil pessoas, segundo os organizadores da mobilização, acompanhavam o julgamento do ex-presidente na praça Tiradentes, no bairro do Recife, em frente à sede do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região.

Boa parte dos manifestantes dormiu no local. O clima era de tranquilidade até as 14h. Bandeiras, cartazes e panfletos com palavras de apoio a Lula e críticas ao Judiciário e ao governo federal podem ser vistos no local.

Parlamentares, lideranças sindicais e estudantis se revezam em discursos nos intervalos do julgamento. Também há mobilizações similares nas cidades de Caruaru, no Agreste e Petrolina, no Sertão.

Em Pernambuco, os atos estão sendo coordenados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) e pela Frente Brasil Popular. Na zona sul, integrantes de movimentos como o MBL empunhavam cartazes pedindo a condenação de Lula no calçadão da praia de Boa Viagem. Não havia registros de confrontos entre os grupos até o início da tarde.

ARACAJU 

Convocados pela Frente Brasil Popular, centenas de pessoas se manifestavam em frente à sede da Justiça Federal, em Aracaju, de apoio  ao  ex-presidente, por volta do meio-dia.

Desde a terça-feira, 23, ocorrem mobilizações em Nossa Senhora da Glória, Gararu, Porto da Folha, Poço Redondo e Lagarto, cidades do sertão sergipano. Há mobilizações também em Estância e Propriá.

Está previsto para às 15 horas desta quarta-feira um grande ato na praça General Valadão, em Aracaju.

SÃO LUÍS 

Na capital maranhense, membros do PT e PCdoB, assim como as centrais sindicais CUT e CTB, ao lado da Federação dos Trabalhadores Agrários do Maranhão (FETAEMA), realizavam um grande ato em defesa do ex-presidente Lula em frente à sede da Justiça Federal no bairro da Areinha.

Mais de 300 pessoas participavam do ato comandado pelo presidente do PT de São Luís, vereador Honorato Fernandes, até o início da tarde desta quarta, 24. Os manifestantes gritavam que "eleição sem Lula é golpe".

RIO BRANCO

Os militantes se reuniram na Praça da Revolução, na região central, e fizeram uma corrente de oração “por um julgamento justo”. O ato prosseguiu durante a manhã e apresentações artísticas e discursos contra o “novo golpe”. A Polícia Militar não estimou o número de participantes.

PORTO VELHO 

Cerca de 60 manifestantes, que estavam desde às 4 horas da manhã em frente a sede da Justiça Federal em ato simbólico pela "Democracia e do direito de Lula ser candidato", já deixaram o local. Pela manhã, eles acompanharam uma aula pública em "Defesa da Democracia" em frente à sede da Justiça Federal, após gritos de "mexeu com Lula, mexeu comigo" e "não vai ter golpe".

Com o discurso de que o ex-presidente estava sendo julgado sem provas e que o julgamento era um ato político e sendo assim eles iriam vencer a disputa nas ruas, os participantes que estavam acompanhando o julgamento pelas redes sociais se dispersaram para acompanhar o fim do julgamento em suas residências.

Os organizadores convocaram todos a participarem de uma reunião na sede do PT de Rondônia em Porto Velho após o resultado do julgamento, onde esperam uma concentração maior de manifestantes.

BOA VISTA

Militantes do Partido dos Trabalhadores e de outras siglas partidárias de esquerda, centrais sindicais, movimentos sociais e simpatizantes se reuniram na sede do PT desde o início do julgamento, na manhã desta quarta-feira. Segundo o secretário de Comunicação do partido em Roraima, Marlisson Ângelo, não há previsão de manifestação na rua. Até o momento, nenhuma manifestação a favor da condenação do ex-presidente Lula foi registrada na capital.

MANAUS

Um grupo de aproximadamente 150 pessoas estava reunido nesta manhã em frente à sede da Justiça Federal em Manaus para protestar contra o julgamento do ex-presidentes Lula. Uma parte dos militantes pernoitou em frente ao local. Orações e músicas, além de cartazes e frases de efeito fizeram parte da manifestação. O grupo acompanhava o julgamento pelo rádio. 

As manifestações contra e a favor do ex-presidente ocorrem das mais diversas formas. Um restaurante da capital amazonense decidiu criar uma programação especial para o dia. Além de transmitir ao vivo o julgamento do petista, o estabelecimento, que fica localizado dentro de um shopping da zona centro-sul, oferece 1% de desconto para cada ano de condenação de Lula, caso ele não seja absolvido. 

Dezenas de militantes também passaram a noite em vigília, em frente ao prédio da Justiça Federal, na avenida André Araújo, no bairro Aleixo. As barracas foram desmontadas pela manhã, quando o grupo deu um abraço simbólico no prédio. A manifestação reuniu sindicalistas e integrantes do PT e do PcdoB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.