Sindicalistas excluem radicais do PT de manifesto sobre reforma

Um dia depois de serem enquadrados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os radicais do PT não foram convidados pelos sindicalistas para participar da manifestação que será realizada hoje, às 16h, no Auditório Zumbi dos Palmares, na Câmara, para discutir a proposta de reforma previdenciária. No mesmo horário, Lula e os 27 governadores estarão no Legislativo para entregar as propostas de reformas constitucionais. O presidente do Sindicato dos Servidores da Câmara, do Senado e do TCU, Ezequiel Nascimento, disse que os radicais petistas ?só produzem fotografia e espuma?. Na avaliação do sindicalista, os deputados Babá (PT-PA) e Lindberg Farias (PT-RJ) e a senadora Heloísa Helena (PT-AL) não têm densidade e acabarão defendendo as propostas do Palácio do Planalto. ?Eles não são nossos aliados de frente, vão acabar aprovando as reformas do governo.? O Fórum em Defesa da Previdência Social e do Serviço Público, que reúne 25 sindicatos, apoiará no encontro de hoje, na Câmara, proposta de emenda constitucional, do deputado Pauderney Avelino (PFL-AM). ?Trata-se de uma alternativa ao projeto do governo?, avalia Ezequiel Nascimento. Os sindicalistas defendem que os novos funcionários públicos recebam 90% do salário quando se aposentarem, mas criticam os novos fundos de aposentadoria. ?O governo está criando um mercado imenso de previdência.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.