André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Sindicalistas da CUT são impedidos de entrar na Câmara

Grupo atribui a proibição ao presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

DANIEL CARVALHO, O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2015 | 16h20

Brasília - Sindicalistas ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) foram impedidos nesta quarta-feira, 2, de entrar na Câmara dos Deputados, onde participariam de uma atividade sindical. Eles atribuíram a proibição ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

De acordo com a secretária de relações do trabalho da CUT, Graça Costa, o lançamento da agenda legislativa estava marcado para as 14h no Salão Nobre. "Estava tudo confirmado, coquetel organizado. O presidente da Casa não deixou a gente fazer o nosso lançamento. Alegou que a Casa está cheia", afirmou.

A sindicalista questionou o fato de integrantes da Força Sindical, entidade ligada ao Solidariedade, partido aliado de Cunha, poderem entrar na Câmara sem problemas, assim como manifestantes que ocupam o Salão Verde e as galerias com placas a favor da derrubada do veto presidencial que desautoriza o reajuste de 56% aos servidores do Judiciário. "Temos feito críticas ao tratamento que ele tem dado aos trabalhadores", disse Graça, que comandava um grupo de cerca de 100 pessoas.

O segurança que impedia o grupo de entrar afirmava que não era permitido fazer manifestação dentro da Câmara. A sindicalista reagiu afirmando que eles não estavam no local para fazer qualquer manifestação. Segundo Graça, o evento seria transferido para o Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
CâmarasindicalistasCUT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.