Sindicalista quer SP na guerra fiscal

O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, defendeu hoje a entrada de São Paulo na guerra fiscal com outros Estados a fim de interromper a saída de fábricas do Estado. "Ou São Paulo entra na guerra fiscal ou vai continuar a perder indústrias", disse. Nos últimos dias, duas empresas anunciaram a desativação das operações localizadas em São Paulo. A primeira foi a Multibrás, detentora das marcas Brastemp e Consul de eletrodomésticos, que está saindo de São Bernardo para Joinville (SC). A outra é a indústria de chocolates Lacta, localizada em Pinheiros, zona oeste da capital paulista, que transferirá a produção para sua unidade em Curitiba (PR). As duas vão demitir 1.050 e 350 funcionários, respectivamente. Nesta sexta-feira, o secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, José Aníbal, vai se reunir com os diretores da Multibrás e com sindicalistas para tentar uma saída para a questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.