Sindicalista morto dá nome a ponte entre Brasil e Bolívia

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia (AC), Wilson Pinheiro, assassinado em 1980, vai ser homenageado: a ponte internacional que liga o Acre a Bolívia terá seu nome. O presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, e os presidentes da Bolívia, Carlos Mesa, e do Peru, Alejandro Toledo, participam da solenidade de inauguração, nesta quarta-feira.Pinheiro foi assassinado em 21 de julho de 1980, no auge do conflito entre seringueiros e fazendeiros pela posse de terras. Lula, então presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, veio a uma manifestação em Brasiléia, a 220 quilômetros ao Sul de Rio Branco, seis dias depois. "Chega de contar os mortos. Porque só tombam os que estão do nosso lado? Está chegando a hora da onça beber água", declarou o presidente na ocasião, do alto da carroceria de um caminhão a uma multidão de seringueiros. Por esta declaração a Polícia Federal do Acre enquadrou Lula na Lei de Segurança Nacional. Ele foi acusado de incentivar os seringueiros à vingança. Dias depois, um grupo de seringueiros linchou o capataz Nilo Sérgio de Oliveira, conhecido como Nilão e suspeito de ser o mandante do assassinato de Pinheiro. Lula os seringueiros foram absolvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.