Claudio Kbene/PT
Claudio Kbene/PT

Sindicalista ferido em acampamento pró-Lula tem alta da UTI

Jeferson Lima de Menezes, de 39 anos, foi baleado no pescoço na madrugada de sábado

O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2018 | 17h42

Baleado durante um ataque a tiros contra o acampamento Marisa Letícia, em Curitiba, na madrugada de sábado, 28, Jefferson Lima de Menezes, de 39 anos, teve alta da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O militante, presidente do Sindicato dos Motoboys de Santo André, foi transferido para um quarto da enfermaria do Hospital do Trabalhador nesta segunda-feira, 30, segundo informações da Secretaria da Saúde do Paraná.  

O sindicalista participava da vigília em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, quando foi atingido de raspão no pescoço. De acordo com o boletim médico, Jefferson está acordado e tem quadro de saúde estável. Os resultados dos exames laboratoriais feitos na manhã desta segunda-feira foram classificados como bons.

+Advogada diz que discussão precedeu ataque no PR

Outra vítima do ataque, a advogada Márcia Koakoski, de 42 anos, foi ferida no ombro por estilhaços de um banheiro químico atingido por um dos disparos. “Fisicamente não foi grave, mas estou abalada psicologicamente”, disse ela ao Estado no domingo, 29.

Investigação. Jefferson será ouvido pela polícia assim que tiver alta do hospital onde está internado. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná no domingo.

Imagens de câmera de segurança registraram o momento em que um homem atirou contra o acampamento. O autor dos disparos ainda não foi identificado e outras testemunhas, além de Menezes, serão ouvidas. Uma mulher também foi ferida no ombro durante o ataque, sem gravidade. 

+ Após tiros na madrugada, Curitiba reitera Lula fora da PF

Caravana. Esse foi o segundo atentado contra apoiadores do ex-presidente Lula este ano. No dia 27 de março, ônibus que acompanhavam o ex-presidente foram atingidos por tiros no interior do Paraná. Na ocasião, dois tiros perfuraram a lataria de um dos três veículos da comitiva petista na Rodovia PR-473, entre os municípios de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no oeste do Estado. A investigação ainda não apontou suspeitos do atentado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.