Simplicidade ou falta de recurso

Resultado audiovisual foi muito pobre, com resolução primária e fotografia precária

Adilson Xavier, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2010 | 11h06

Mangas arregaçadas, mas sem emoção. O programa teve um cunho quase documental. Foi o registro de discursos no encontro nacional de partidos. A imagem foi captada de forma quase amadora. Acredito que a intenção tenha sido passar despojamento. Mas o resultado audiovisual foi muito pobre, com resolução primária e fotografia precária. Os letreiros usados nos créditos também expuseram uma tipologia antiga, que não transmite modernidade.

 

Veja também: 

José Roberto de Toledo: Reprise, discurso não teve novidade 

David Fleischer: Programa evitou tom agressivo

Keila Jimenez: Onde está o marqueteiro?

 

A imagem de Serra, que se apresentou em camisa azul-claro com as mangas arregaçadas, ao meu ver é um código de quem vai colocar a mão na massa. Ele procura transmitir uma imagem de operosidade, de alguém que realiza, mais próximo do povo. Resumindo: ou a intenção é comover o povo, apresentando um excesso de simplicidade, porque esse vídeo qualquer brasileiro poderia fazer, ou é falta de recurso.

 

Adilson Xavier é presidente da Agência Giovanni+DRaftcb

Mais conteúdo sobre:
DEM Jose Serra propaganda partidaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.