Simon e Péres vão ao STF para instalação da CPI

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) e o líder do PDT, Jefferson Péres (AM), vão protocolar nesta quarta-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) um mandado de segurança contrário à decisão do presidente do Senado e dos líderes governistas de não instalarem a CPI do Bingos. Eles vão argumentar que a omissão no Regimento do Senado, quanto à não indicação dos membros da CPI, não pode se sobrepor ao artigo da Constituição que trata as investigações de inquérito como uma das competências dos parlamentares.Essa é mais uma das reações da oposição para viabilizar a CPI, apoiada por 35 senadores, 9 deles da bancada de apoio ao governo. Outra iniciativa foi anunciada nesta terça pelo líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM) - a de não "colaborar" na votação de matérias, enquanto não for marcada data para ser votado o projeto de resolução do senador Simon que obriga a presidência do Senado a indicar os membros das CPIs, se os líderes da maioria não o fizerem.Virgílio disse que a intenção da oposição não é a de "criar embaraços à governabilidade mas, sim, restabelecer o direito das minorias de criar as comissões de inquérito". Para o líder, a investigação se faz cada vez mais necessária agora, depois de o ex-assessor de Assuntos Parlamentares Waldomiro Diniz ter sido acusado pelos ex-dirigentes da Gtech de manter um "conluio" com o ex-secretário da prefeitura de Ribeirão Preto, Rogério Buratti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.