Simon discursa sobre carta da mãe de Malan

O ministro da Fazenda, Pedro Malan, foi surpreendido, nesta terça-feira, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), por um aparte do senador Pedro Simon (PMDB-RS) que não tinha nada a ver com o assunto tratado.Simon comentou com o ministro a respeito de uma carta que recebeu da mãe de Malan, dona Regina. Segundo ele, era uma carta ?longa, manuscrita e dotada das melhores intenções? para defender a postura do ministro e de sua família.Dona Regina, segundo Simon, resolveu manifestar-se por escrito para responder às críticas que o senador fez ao ministro, no dia 29 de agosto, tendo por base reportagem publicada na imprensa.O texto dizia que o banqueiro Pedro Sales, do Unibanco, havia feito uma festa em comemoração ao aniversário da mulher do ministro, Catarina. Simon subiu à tribuna para criticar o fato. Ele disse que o ministro teria infringido o Código de Conduta do Servidor Público, que proíbe qualquer servidor de aceitar presentes com valor superior a R$ 100,00.?Essa lei proíbe que tal fato acontecesse, mas aconteceu?, frisou o senador, na ocasião. O discurso de Simon que a mãe do ministro viu pela televisão tentava vincular os lucros dos bancos ao tráfico de influência junto ao governo.Ele exibiu dados da Receita Federal, mostrando que, no primeiro semestre deste ano, o setor bancário foi um dos mais rentáveis. O senador negou-se a mostrar a carta de dona Regina.Na resposta que enviou a ela, ele se diz sensibilizado pelo fato de ela se expor como mãe para defender o filho. Ninguém da CCJ entendeu o teor do comentário a respeito desse fato entre o senador e o ministro.Só depois é que Simon revelou a que estava se referindo. A impressão que ficou é que tanto Simon como Malan superaram o mal-estar deixado pelo episódio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.