Simon critica criação do Conselho Federal de Jornalismo

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) classificou como autoritária a proposta do governo de instituir o Conselho Federal de Jornalismo (CFJ) e de estar por trás de sua tentativa uma estratégia de tomada "do quarto poder" pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), que dirige atualmente a Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj). "Estou nesta tribuna para expressar indignação diante de um projeto que só terá similar na legislação dos anos mais duros do regime militar", disse. Simon critica ainda a Casa Civil da Presidência por ter alterado para pior o texto encaminhado pela Fenaj e de não ter chamado para discutir o projeto a Associação Brasileira de Imprensa que, "ontem, pronunciou-se contrária à iniciativa". Ao analisar o conteúdo do projeto, o senador gaúcho afirmou que a criação dos conselhos regionais de jornalismo ensejaria perseguições e favorecimento político. Ao criticar a atuação da CUT na elaboração do projeto, Simon citou artigo do jornalista Alberto Dines, do programa de TV Observatório de Imprensa. "A CUT não brinca em serviço: a ela não basta dominar a Fenaj", diz o texto de Dines citado por Simon. "À CUT interessa dominar a imprensa, impor suas regras, suas prioridades e sua ética; apropriar-se do Quarto Poder". Simon citou ainda artigo de Maurício Tuffani em que acusa as mudanças da Casa Civil de estender a atuação do conselho às atividades dos veículos de comunicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.