Simon: candidatura de Tasso perde com morte de Covas

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) disse há pouco que a provável candidatura do governador do Ceará, Tasso Jereissati, perde "bastante" sem o apoio do governador Mario Covas. "O perigo é que ele fique sem o Covas e com o ACM (o senador Antônio CarlosMagalhães, do PFL-BA)", afirmou, ao chegar ao velório no Palácio dos Bandeirantes. "Agora que o Covas morreu, Tasso precisa se afastar de ACM, para que sua candidatura não se complique e perca apoios que poderia vir a ter", aconselhou.Segundo Simon, se Covas estivesse no " esplendor de sua saúde", ele seria o candidato natural do PSDB à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso. "Não tenho dúvidas disso" disse, confiante de que o PMDB apoiaria a candidatura Covas. "Sem ele, nenhum candidato (do PSDB) tem esse impacto, essa credibilidade" disse Simon."Para colocar alguém que ocupe o lugar dele, será preciso colocar 20 ou 30, disse, ao responder sobre as conseqüências políticas da morte de Covas. "Na grandeza dele, há poucas pessoas.". De acordo com Simon, Covas é um exemplo do que "se pode querer de bom para o Brasil".Emocionado, o senador lembrou-se da última vez que esteve com Covas no último mêsde janeiro, no Palácio dos Bandeirantes. "Eu chorei, ele chorou. Disse que estava conformado", contou Simon, chorando. Após duas horas de conversa, conta o senador, o governador o levou até a saída do Palácio segurando-o pelo braço, e acenou, se despedindo quando ele saía.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.