Sílvio Pereira não inicia prestação de serviços em SP

Ex-secretário do PT fez acordo com a Justiça para se livrar da ação do mensalão e adiou o início dos trabalhos

SÃO PAULO, Agencia Estado

17 de março de 2008 | 11h40

O ex-secretário do PT Silvio Pereira , o Silvinho, deveria começar nesta segunda-feira, 17,  a prestar serviços comunitários na Subprefeitura do Butantã, zona oeste de São Paulo. No entanto, até 11h15, ele não apareceu, não telefonou para dar alguma satisfação e nenhum representante legal, como seu advogado, entrou em contato, de acordo com a assessoria de imprensa da subprefeitura.   Veja também:   Os 40 do mensalão Falta de 'vocação' faz Silvinho adiar prestação de serviços Silvinho queria cozinhar, mas vai cuidar de bueirosNa quinta-feira, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou à Segunda Vara Criminal de São Paulo que notificasse Silvio Pereira para que ele iniciasse imediatamente a prestação de 750 horas de serviços comunitários. Logo no primeiro dia de trabalho, ele teria se recusado a ficar na subprefeitura, onde teria de participar de uma equipe de zeladoria urbana, fiscalizando serviços de limpeza da região. O procurador da República Rodrigo de Grandis falou que, se Silvinho não iniciar imediatamente o cumprimento do acordo que fez com a Procuradoria Geral da República , o benefício da suspensão do processo deverá ser revogado. O procurador lembrou que não cabe ao réu escolher qual será sua prestação de serviços. Rodrigo de Grandis acrescentou que o serviço disponibilizado pela Subprefeitura do Butantã ao ex-secretário do PT não provoca demérito e nem é indigna, estando de acordo com a condição de Sílvio Pereira.

Tudo o que sabemos sobre:
MensalãoSilvinho Pereira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.