Silvinho nega ter sido procurado por enviado do Planalto

O ex-secretário geral do PT Silvio Pereira negou, no depoimento à CPI dos Bingos, no Senado, que tivesse sido procurado nesta terça-feira pelo secretário financeiro do PT, Paulo Ferreira, em nome do Palácio do Planalto. "É mentira. Esta notícia não é verdadeira", disse, afirmando que conversou com Paulo Ferreira ao telefone antes da entrevista concedida ao jornal O Globo, para tratar da sua indenização no PT. Silvio Pereira disse à CPI dos Bingos que não conversa com o presidente Lula desde que parou de cuidar das indicações dos partidos para cargos no governo e que não esteve mais no Palácio do Planalto desde que saiu do PT. Quanto às 12 ligações telefônicas recebidas do Planalto, em julho do ano passado, conforme relatou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), afirmou serem de um amigo pessoal que trabalha na Presidência. "Depois que me desfiliei do PT, não tive contato com nenhuma autoridade, mas recebo ligações de amigos até hoje", acrescentou. Ao longo do depoimento de seis horas e meia, na CPI, o ex-dirigente petista confirmou o teor da entrevista concedida ao Globo, mas disse que "alguns detalhes não batem". "Não acredito que a jornalista tenha inventado. Creio que não tenha feito distorção no conteúdo principal. Se houve alguma, foi na minha cabeça", acrescentou. "Não acredito que ela tenha distorcido absolutamente nada", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.