Silvinho nega favorecimento a empresas em contratos nos Correios

O ex-secretário geral do PT, Silvio Pereira, disse em depoimento à Procuradoria Geral da República no Distrito Federal, encerrado na madrugada desta sexta-feira, que desconhece qualquer tipo de favorecimento para as empresas Novadata e HHP, que mantinham contratos com os Correios, tampouco licitações de contratos na estatal.O depoimento de Silvinho começou na tarde da última quinta-feira e terminou nesta madrugada de sexta. Repetindo informações que prestara na quinta também à Polícia Federal, o ex-dirigente petista disse à Procuradoria qual era seu papel no partido e como era o esquema de indicações organizado por ele para compor o governo Lula.Segundo nota do Ministério Público Federal, as indicações vinham do PL, PSB, PP, PPS, PTB, PC do B e PMDB. Segundo ainda a nota, Silvinho informou que a maioria dos cargos de segundo escalão foi preenchida por petistas e correligionários do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, o que teria gerado insatisfação dos demais partidos aliados e resultado em retaliações ao governo.Sobre a indicação do ex-diretor de Tecnologia dos Correios, Eduardo Medeiros, investigado pela CPI dos Correios e pelo Ministério Público, o ex-secretário petista afirmou que ela teria partido de um grupo de servidores ligado ao PT e negou envolvimento na nomeação. O advogado do ex-petista, Iberê Bandeira de Melo, disse que os dois depoimentos reforçam a defesa de Silvinho. O advogado chamou de "palhaçada" a atuação dos senadores durante o depoimento de seu cliente à CPI dos Bingos na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.