André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Sigla se frustra com roteiro de procurador

BASTIDORES: Fábio Fabrini

O Estado de S.Paulo

06 Abril 2015 | 02h03

O PMDB já vislumbrava a abertura de inquéritos contra seus líderes no Congresso muito antes de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviar pedidos ao Supremo Tribunal Federal, no início de março. Os nomes dos dois já haviam surgido em depoimentos dos delatores da Operação Lava Jato.

O partido, contudo, esperava que o procurador já apresentasse, naquela data, denúncias contra alguns políticos, principalmente do PP, sobre os quais considera haver provas mais robustas de participação no esquema. Para os peemedebistas, ao optar somente pela abertura de inquéritos, o procurador "nivelou" todos os envolvidos perante a opinião pública. Como resposta, parte do partido no Congresso se voltou contra o procurador e usa a influência na CPI para desgastá-lo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.