Sigilo sobre dados de Lula é 'denúncia infundada', diz Falcão

Sigilo sobre dados de Lula é 'denúncia infundada', diz Falcão

Para presidente do PT, informação de que o Itamaraty agiria para vetar acesso a documentos é tentativa de atingir petista

Ana Fernandes, Vera Rosa e Ricardo Galhardo, enviados especiais, O Estado de S. Paulo

12 Junho 2015 | 11h55

Salvador - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, chamou de infundada a informação de que o Itamaraty teria tentado colocar sigilo sobre documentos para proteger o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Falcão disse ainda que é mais uma tentativa da "mídia monopolizada" de prejudicar o ex-presidente com vistas às eleições de 2018. 

"São denúncias infundadas, uma tentativa de atingir o PT, o Lula. Eles não se cansam de forjar denúncias como essa, sem provas. É um fato costumeiro já. Setores da nossa imprensa da mídia monopolizada amplificam isso tentando quebrar a popularidade do presidente Lula, pensando nas eleições de 2018, que estão muito distantes e a que o presidente Lula nem se declarou candidato", disse Falcão.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o diretor do Departamento de Comunicação e Documentação do Ministério das Relações Exteriores, João Pedro Corrêa Costa, sugeriu que documentos que ligam o ex-presidente Lula à Odebrecht - empreiteira investigada na Operação Lava Jato - sejam classificados como confidenciais. Tal medida estenderia o segredo sobre os documentos de cinco para 15 anos. 

O diplomata teria enviado um memorando a colegas do Itamaraty após receber um pedido baseado na Lei de Acesso à Informação sobre os papéis, de um repórter da revista Época. A pasta negou que tenha dado a ordem.

Mais conteúdo sobre:
Lula Rui Falcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.