Sibá diz que Brasil 'precisa da fidelidade partidária'

O senador Sibá Machado (PT-AC) elogiou hoje a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de estabelecer no País a fidelidade partidária. "Eu acho que o Brasil estava precisando disso e os parlamentares eleitos devem ter o mínimo de respeito com a vontade popular que o elegeu por uma determinada sigla", disse o parlamentar, que participa hoje da reunião do Diretório Nacional do PT, em São Paulo. Questionado se o STF estaria legislando no lugar do Congresso Nacional, que enfrenta um momento de desgaste, Sibá respondeu: "Eu acho que a decisão leva a acreditar nisto. Porém, o STF está interpretando a Constituição e não criando uma nova legislação".Apesar da ponderação, o senador petista advertiu: "Cabe agora ao Congresso tomar as atitudes que não foram adotadas em tempo hábil". Como presidente do Diretório Nacional petista do Acre, Machado disse que ficará de olho na direção da medida imposta pelo STF para recuperar as cadeiras de sua legenda que eventualmente possam ficar vagas. CCJO senador comentou também a decisão do PMDB em afastar os senadores Pedro Simon (RS) e Jarbas Vasconcellos (PE) da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e colocar nos seus lugares o senador Almeida Lima (SE), um dos principais defensores de Renan Calheiros (AL) no Conselho de Ética, e Paulo Duque (RJ). "Atrapalha o clima no Senado, mas temos que respeitar a decisão do PMDB", disse Sibá Machado. Ele afirmou também não saber se o acordo de votação de matérias importantes na Casa será interrompido com esta decisão do PMDB. "Certamente, teremos mais uma semana de fortíssimos debates na tribuna da Casa", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.