Shoppings aos domingos e pão quente podem acabar

O governo federal defendeu hoje que os shoppings centers permaneçam fechados aos domingos, inclusive seus cinemas e suas praças de alimentação, como forma de contribuir para a redução do consumo de energia. Esta proposta foi apresentada pelo secretário Nacional de Energia, Afonso Henriques Moreira Santos, do Ministério de Minas e Energia, durante seminário do Sebrae que debateu os efeitos do racionamento de eletricidade nas micro, pequenas e médias empresas do País."Se este setor não colaborar, poderemos adotar medidas que impeçam o consumo de energia aos domingos", ameaçou Afonso Henriques. O secretário também pediu que as panificadoras que possuam fornos a energia que evitem assar pães em pequenos intervalos. Para ele, seria suficiente produzirpãezinhos duas vezes ao dia e não em intervalos de 15 minutos, como ocorrem nas cidades de maior porte.CruzadaAfonso Henriques manifestou-se favorável à realização de uma cruzada pelo País para incentivar a população a reduzir o desperdício de luz elétrica. Para o secretário, debates como o ocorrido com os empresários filiados ao Sebrae servem de fator multiplicador para conscientizar a população sobre anecessidade de reduzir significativamente o consumo de energia elétrica. Ele propôs que os trabalhadores sejam qualificados no sentido de economizar luz elétrica nas empresas.Na avaliação do secretário, a adesão dos setores do comércio, serviços e residencial ao corte voluntário de luz ajudará a amenizar o racionamento por meio de desligamento das redes. "Existe o corte, mas que pode ter uma menor duração se houver o apoio da sociedade", enfatizou.O presidente do Sebrae, Sérgio Moreira, informou ao Estado que o seminário realizado hoje tem por objetivo produzir um plano de racionamento das empresas associadas à entidade. "O que pretendemos fazer é muito mais ambicioso do que a proposta de corte de energia para os shoppings centers", afirmou Moreira.Das propostas apresentadas, segundo ele, encontram-se aquelas que visam buscar a eficiência energética dos equipamentos utilizados na produção de bens e serviços. Este plano deve estar pronto até o fim deste mês para que possa ser colocado em prática a partir do dia 1° de junho, quando entra em vigor o racionamento por meio do corte de energia programado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.