Sexta-Feira Santa reúne católicos no mundo

Hoje, o papa João Paulo II escutou as confissões de 11 fiéis na Basílica de São Pedro, mantendo uma tradição da Sexta-Feira Santa, mesmo com o temor de atentados terroristas. O frágil pontífice de 83 anos foi levado até a basílica por seus ajudantes e permaneceu ali por uma hora escutando as confissões de cinco homens e seis mulheres de várias nacionalidades, escolhidos aleatoriamente na multidão. Um sacerdote orou pela saúde do pontífice, que melhorou sensivelmente nos últimos meses. João Paulo II, em vestimentas vermelhas, permaneceu durante boa parte da missa de cabeça baixa, com ar contrito, mas chegou até a se ajoelhar durante o serviço.Na missa foi lida uma oração de confraternização com os judeus. A passagem ganhou significado especial em virtude da estréia na Itália, há poucos dias, de A Paixão de Cristo. Como no resto do mundo, o filme de Mel Gibson tem sido acusado de incentivar o anti-semitismo. "Nós rezamos pelos judeus. Que nosso Deus, que os escolheu entre todos os povos para aceitar Sua palavra, os ajude a avançar sempre no amor ao Seu nome e na obediência ao seu compromisso com Ele", disse um sacerdote em português. Até 1960, as missas da Sexta-Feira Santa faziam menção aos "pérfidos judeus", prática banida após o Concílio Vaticano 2º. À noite, a via-sacra simbolizando o caminho de Cristo até a crucificação aconteceu no antigo Coliseu romano. Devido a seus problemas de saúde, o Papa não carrega mais a cruz durante a procissão. Amanhã, João Paulo II vai presidir a vigília de Páscoa e, no domingo, vai celebrar a missa na Praça de São Pedro, quando dará sua tradicional bênção Urbi et Orbi (para a cidade e para o mundo). A expectativa é que 100 mil pessoas compareçam à missa do domingo de Páscoa. Por isso, toda a região da basílica de São Pedro será submetida a severas medidas de segurança. Os peregrinos e turistas deverão passar por detectores de metais para entrar na basílica, além de numerosas medidas de segurança tomadas em Roma. As autoridades italianas disseram que aumentaram a segurança no Vaticano. O jornal La Repubblica de Roma informou, com base em fontes do serviço secreto, que um comando terrorista planeja um atentado com explosivos em Roma. Segundo o jornal, o explosivo já está em Roma. As autoridades italianas advertiram para o perigo de atentados especialmente no domingo de Páscoa, 11 de abril, pela coincidência da data com o 11 de setembro nos Estados Unidos e o 11 de março em Madri. No Brasil, a Sexta-Feira Santa é marcada pela celebração da Paixão de Cristo, com a procissão da Via Sacra e a encenação da Paixão em diversas cidades. No nordeste brasileiro, onde a encenação da Paixão é tradicional, atores globais têm feito o papel de Jesus, o que tem trazido um público maior a cada ano, bem como exigido produções mais incrementadas. Em João Pessoa, Vladimir Brichta, da novela Kubanacan (2003), vai estrear como Cristo. Na cidade de Nova Jerusalém, a 180 quilômetros de Recife, em Pernambuco, Thiago Lacerda será Jesus e Vanessa Lóes, Maria. Em Aparecida, interior de São Paulo, a Paixão também foi encenada, por um grupo de 67 pessoas, depois da cerimônia da Via Sacra, pela manhã. Tradicional na cidade, a Via Sacra reuniu nesta sexta-feira cerca de 15 mil pessoas, entre moradores da cidade e romeiros. Amanhã, às 10h30, a Paixão será encenada novamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.