Sexo e evasivas abalam o governo Lula, diz jornal

Sob o título ?Brasil: sexo e evasivas abalam o governo Lula? (Brasile: Sesso e tangenti bufera sul governo Lula), o jornal italiano La Repubblica destaca em sua edição desta quarta-feira a ?telenovela política? que provocou a demissão do ministro da Fazenda, Antonio Palocci. O jornal comenta o fato de que no centro do escândalo estava uma casa supostamente usada pelo ministro para reuniões onde se negociavam subornos e onde seriam realizadas festas de confraternização com a presença de prostitutas.A reportagem do Repubblica afirma, porém, que não foi essa a razão que levou à queda de Palocci, afinal ?entre às 17h (hora de fechamento dos escritórios) e às 20h (hora do jantar em família), as casas de prostituição estão cheias de clientes?.?Palocci caiu porque ao tentar defender-se ele usou seu poder para enviar aos jornais a movimentação bancária da pessoa que o acusava, violando o segredo bancário, um dos crimes federais mais sérios no Brasil?, diz a reportagem. ?Assim o ex-ministro demonstrou que seu acusador havia recebido pagamentos de alguém, mas também determinou sua própria sentença.?MantegaEm um outro texto, o Repubblica destaca o perfil do novo ministro, Guido Mantega, lembrando o fato de ele ter nascido em Gênova, na Itália, e ter mudado ao Brasil com três anos de idade, e também de ter recebido em 2004 uma condecoração das mãos do prefeito de sua cidade natal, Giuseppe Pericu.Para o jornal, sua indicação ?reforça uma tradição de presença ligúria [de originários da região da Ligúria, ao noroeste da Itália] nos governos da América Latina?.Futuro político O diário espanhol El País, que já havia noticiado a queda de Palocci na véspera, voltou ao tema nesta quarta-feira, ao dizer que sua saída ?complica o futuro político de Lula?.Para o jornal, a demissão do ?superministro? Palocci, um dos homens mais influentes do governo Lula, ?abre uma grave crise política a pouco mais de seis meses das eleições presidenciais de 1º de outubro?.A reportagem comenta que ?os mercados receberam a renúncia de Palocci com cautela e certo ceticismo, ante uma possível mudança da política econômica a cargo do novo ministro, Guido Mantega, um partidário de um aumento no gasto público e de taxas de juros mais baixas para aumentar o crescimento?.O também espanhol ABC segue linha semelhante, observando que ?com a renúncia, Palocci perde o foro privilegiado frente à Justiça brasileira e corre o risco de ser processado e preso por corrupção, o que pode trazer dores de cabeça a Lula, que busca sua reeleição neste ano?. "Último fusível de Lula acaba de queimar?O francês Libération diz que ?a seis meses das eleições gerais, o último fusível de Lula acaba de queimar?. O jornal lembra que, ?depois de José Dirceu, o braço direito de Lula, Palocci é o segundo ministro do PT encurralado pelo escândalo de corrupção a deixar suas funções, sem contar quatro altos quadros do partido igualmente envolvidos?.O americano The Wall Street Journal observa que ?o Brasil trocou seu guardião da política econômica, o acusado ministro da Fazenda, Antonio Palocci, por um crítico aberto da estrita política monetária do Banco Central?, mas comenta que ?ainda assim, o novo ministro rapidamente prometeu manter o rumo de seu antecessor?.Analistas ouvidos pelo jornal também afirmam que pouco deve mudar na política econômica com Mantega em um ano eleitoral como este. ?Os riscos são enormes, e os benefícios [de uma mudança] são muito incertos?, diz um analista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.