Sete remédios aumentam mais que o permitido

A Câmara de Medicamentos constatou que sete remédios tiveram aumentos de preço acima dos 5,94% permitidos, a partir deste mês, pela medida provisória que regulamentou o setor farmacêutico. O recordista em aumento na lista de sete foi o remédio Disbuspan, do laboratório Prodotti, que teve um reajuste de 53,8%. Em seguida vieram: Minervit Plus, 23,94%; Ferrumvit, 22,25%; Calciumvit, 22,37%; e Epherol, 16,57%, todos do laboratório Viternat. Também fugiram do limite estipulado pelo governo os medicamentos Sedantol, fabricado pelo Dovalle, reajustado em 17,97%, e Cefalexina, do Braskap, 10,2%. Essa lista ainda pode engordar, porque a Câmara de Medicamentos continua verificando quais fabricantes teriam descumprido as regras previstas na medida provisória. Uma delas previa que todos deveriam entregar até 31 de janeiro planilhas comprovando a necessidade dos reajustes. A Câmara já abriu 26 processos administrativos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.