Sete presos pela PF em Alagoas já estão em liberdade

Cinco pessoas presas na segunda-feira pela Polícia Federal, durante a Operação Carranca, deixaram hoje à tarde a carceragem da superintendência da PF em Maceió. Com isso, subiu para sete o número de presos na Operação Carranca que já estão em liberdade.Na madrugada de ontem, o empresário Rodrigo Santos Fragoso Modesto foi a primeira, das 21 pessoas presas pela operação, a ser libertada. No mesmo dia, o engenheiro Paulo Pontes também deixou a PF para cumprir prisão domiciliar em razão de problemas de saúde.As 21 prisões foram executadas pela PF a pedido do Ministério Público Federal de Alagoas, que investiga o desvio de recursos federais que seriam usados em obras patrocinadas por vários ministérios. Segundo o delegado da PF André Santos Costa, que esteve à frente da investigações, pelo menos quatro organizações criminosas estariam envolvidas no esquema que teria lesado os cofres públicos em cerca de R$ 20 milhões.AcusaçãoOs advogados do engenheiro Rodrigo Santos Fragoso Modesto, Thiago Pinheiro e Vagner Paes, explicaram que as prisões não significam acusações. "Ninguém foi acusado de nada ainda. Todos os que tiveram prisões temporárias decretadas estão ou estavam presos a título de investigação", explicou Pinheiro.A partir da meia-noite de hoje, caso o MPF não solicite a prorrogação das prisões temporárias por mais cinco dias, as outras pessoas detidas temporariamente devem deixar a PF. Já os presos que tiveram prisão preventiva decretada não têm data certa para sair. "O procurador federal Rodrigo Tenório pode pedir a prorrogação de algumas das prisões temporárias ou mesmo a conversão de alguma temporária em preventiva", explicaram os advogados, acrescentando que o MPF pode pedir a manutenção das prisões dos investigados cuja liberdade seja considerada uma ameaça às provas e ao trabalho de investigação.Na tarde de hoje foram libertadas a empresária Solange Patriota (Construtora Patriota), Veroneide da Costa Silva (mulher do vereador Val Basílio, presidente da Câmara Municipal de Palmeira dos Índios), Carlos Vandereley (secretário municipal de Marechal Deodoro), Nelson Tenório (funcionário da Caixa Econômica Federal) e José Assis de Lima (Construtora Maris).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.