Sete postos de combustível são lacrados em São Paulo

Quinze postos de combustíveis foram autuados por irregularidades como falsificação de combustíveis e falta de documentação em São Paulo. Sete foram fechados por não contarem com registro na Agência Nacional de Petróleo (ANP). Quinze pessoas foram detidas e responderão a inquérito em megaoperação da Força-Tarefa que reúne vários órgãos do governo estadual.No total foram vistoriados 17 postos. As irregularidades iam de falsificação até "batismo" de combustíveis com álcool e água. AForça-Tarefa foi composta pelo Ministério Público Estadual (MPE), Instituto de Pesos e Medidas, Secretaria da Fazenda e Polícia Civil.Nos postos investigados, a diferença entre a quantidade da gasolina marcada na bomba e o que realmente entrava nos tanques dos carros chegava a 15% menos, de acordo com o delegado Yossef Chaim. A quantidade de álcool na gasolina chegava em média a 33% quando a lei só permite 25% de adição.As pessoas detidas vão responder a inquéritos por adulteração de combustíveis, fraude à Lei de Defesa do Consumidor e formação de quadrilha. Dos sete postos lacrados, quatro já tinham sido fechados em outra blitz, há um mês. São Paulo tem 8.500 postos. O telefone do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), para denúncia de adulteração de conbustíveis, é 0800-130522.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.