Sessões na Câmara, só depois do segundo turno, diz Madeira

O líder do governo na Câmara, deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), disse hoje ao presidente Fernando Henrique Cardoso, durante almoço no Palácio do Alvorada, que só será possível realizar sessões deliberativas na Câmara depois do segundo turno das eleições. Segundo Madeira, o ideal é buscar consenso para votar as 34 medidas provisórias que estão bloqueando a pauta da Casa e discutir alguns assuntos polêmicos, tais como a proposta de emenda constitucional (PEC) 192, que trata do sistema financeiro nacional. Na conversa com o presidente, Madeira afirmou ainda que as votações na Câmara dependerão essencialmente do resultado das eleições presidenciais. Mas, de qualquer maneira, ele se manifestou confiante na possibilidade de avançarem as discussões em torno da 192. "Em tese, o assunto interessa a todos. Não há condições de o sistema financeiro ser regulado da forma que está", disse o líder governista. Também o líder do PT na Câmara, João Paulo Cunha (SP), defendeu a discussão do artigo 192. Madeira se reúne ainda hoje com o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Euclides Scalco, no Palácio do Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.