Sessão sobre CPI do Apagão Aéreo deve durar noite toda

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT), abriu por volta das 19 horas sessão extraordinária para votar o recurso do PT contra a instalação da CPI do Apagão Aéreo. A previsão é de que a sessão vá até pelo menos meia-noite, por causa da disputa entre oposicionistas e governistas. "Vai sangrar a noite inteira", previu Chinaglia. A oposição se diz disposta a apresentar vários requerimentos de adiamento da votação. No plenário, os mecanismos de obstrução das votações são mais limitados do que nas comissões temáticas. Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, por exemplo, a oposição conseguiu estender por oito horas a sessão de terça, quando o recurso do PT foi aprovado. Para esta noite, a previsão é de que a sessão do plenário dure pelo menos cinco horas. A oposição sabe que não tem chances de impedir que a maioria governista arquive a CPI. Por isso, aguarda a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o assunto. "A democracia no Brasil, se o governo conseguir praticar hoje esse atentado contra a CPI, vai ficar dependendo da decisão do Supremo", afirmou o líder do PSDB na Câmara, deputado Antonio Carlos Pannunzio. Ele ressaltou que a decisão que for aprovada na Câmara terá reflexos nas assembléias legislativas e nas câmaras de vereadores do País. O líder afirmou que, se a maioria governista conseguir impedir a CPI, estará tirando das oposições o dever de fiscalizar o Executivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.