Sessão que analisa impeachment de Yeda é interrompida

O presidente da Comissão Especial que analisa pedido de impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB), deputado Pedro Westphalen (PP), suspendeu por alguns minutos a sessão que deve colocar em votação o parecer propondo arquivamento do processo na Assembleia Legislativa. O motivo foi uma divergência de interpretação sobre a participação do deputado Carlos Gomes, uma vez que o parlamentar trocou o PPS pelo PRB nas últimas semanas.

SANDRA HAHN, Agencia Estado

08 de outubro de 2009 | 19h50

Antes da divergência, deputados da oposição já haviam questionado aspectos regimentais do funcionamento da comissão, inclusive a convocação da reunião em edição extraordinária do Diário da Assembleia. Westphalen indeferiu as questões colocadas pela oposição e transferiu a palavra para a relatora do pedido de impeachment, Zilá Breitenbach (PSDB).

Parlamentares da oposição cercaram o presidente para questionar suas deliberações e a leitura do relatório foi interrompida por cinco minutos. Westphalen suspendeu a sessão para ouvir a avaliação do procurador da Casa, Fernando Ferreira, sobre os questionamentos da oposição. A sessão já foi reaberta.

A base aliada a Yeda tem maioria entre os deputados que participam da reunião. Depois de passar pela Comissão Especial, o relatório do processo de impeachment será submetido ao plenário, onde a tucana também tem maioria dos votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.