Sessão do impeachment com 34 horas de duração foi a maior da história da Câmara

O recorde anterior foi a sessão que aprovou a Medida Provisória (MP) dos Portos, com 22 horas de duração, em 2013

Gustavo Porto e Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

16 Abril 2016 | 20h54

BRASÍLIA - A primeira sessão plenária para avaliar a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, com 34 horas de duração, foi a maior da história da Câmara dos Deputados, de acordo com a Secretaria-Geral da Mesa. A sessão começou às 8h55 de ontem (15) e foi encerrada às 18h55 deste sábado (16), reservada apenas para pronunciamentos de lideranças de partidos políticos. O recorde anterior foi a sessão que aprovou a Medida Provisória (MP) dos Portos, com 22 horas de duração, em 2013.

Às 19 horas, começou a sessão reservada para discursos avulsos de parlamentares, que tem um prazo de cinco horas para ser encerrada. Caso isso ocorra e se nem todos os parlamentares falarem no período regimental, outras sessões consecutivas serão convocadas e terão o mesmo tempo. A previsão é de que até as 11h de domingo os discursos sejam encerrados, pois há um acordo de lideres pró-impeachment para abreviar os pronunciamentos, com o intuito de iniciar a sessão de votação do pedido às 14 horas. 

De acordo com o Placar do Impeachment, até às 20h52 deste sábado, 348 deputados se declaravam favoráveis ao impeachment e 133 contra. Havia ainda 10 indecisos, 20 que não qusieram revelar o voto e 2 com possível ausência; 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.