Sessão da CPI com caseiro atrasa; governo defende Palocci

O caseiro Francenildo dos Santos Costa ainda não começou seu depoimento na CPI dos Bingos nesta quinta-feira, porque os senadores continuam discutindo se o depoimento dele deve ser realizado em sessão fechada ou aberta. A líder do PT, senadora Ideli Salvatti (SC), defendeu a realização de sessão reservada para ouvir o caseiro, afirmando que o Senado corre o risco de se tornar um "big brother", "chamando atenção para questões que não têm nada a ver com temas republicanos. O líder do PT na Câmara, Henrique Fontana (RS) decidiu entrar com ação no Supremo Tribunal Federal contra a CPI dos Bingos. Segundo ele, a assessoria jurídica do partido ainda está analisando qual o formato dessa ação, que deverá pedir que a CPI cumpra o dispositivo constitucional e se restrinja a investigar o objeto para o qual foi criada.O receio de o caseiro revelar fatos pessoais do ministro foi um dos principais motivos que levou o PT a entrar com mandado de segurança com pedido de liminar para impedir o depoimento. Iniciativa contestada pela oposição que considerou inoportuna. Afirmando estar contrariado com isso, o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), disse que se a reunião for reservada, a imprensa tomará conhecimento das declarações feitas pelo caseiro. Mas tanto o PFL como o PSDB se comprometem a não explorar questões pessoais, mas esclarecer pontos sobre a presença do ministro na casa do Lago Sul e de seus contatos com Rogério Buratti e outros ex-assessores da prefeitura de Ribeirão Preto. Em defesa de PalocciO ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, manifestou, seu temor de que a CPI dos Bingos tenha perdido seu foco e que, ao invés de investigar bingos, esteja fazendo uma investigação seletiva em uma disputa eleitoral. "Ainda mais com a pesquisa divulgada ontem", acrescentou, referindo-se à pesquisa CNI/Ibope, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria.Bastos fez a afirmação quando questionado sobre a iniciativa do senador Tião Viana (PT-AC) de recorrer ao Supremo Tribunal Federal para impedir o depoimento do caseiro Francenildo dos Santos Souza na CPI. Sobre Palocci, objeto do depoimento de Francenildo, Bastos disse que "é o melhor ministro da Fazenda que o País já teve". O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante(SP), também defendeu na CPI dos Bingos o ministro da Fazenda, afirmando que ele sempre dedicou sua vida com o homem público, destacando sua trajetória de cordialidade e respeito aos adversários. Mercadante creditou ao ministro o controle da inflação, estabilidade financeira e tranqüilidade dos mercados. Ele pediu que o depoimento do caseiro Francenildo Costa seja realizado em sessão secreta, com o objetivo de preservar a figura do ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.