Servidores preparam greve no PR

Milhares de servidores públicos do Paraná fizeram um protesto em Curitiba, durante esta manhã, reivindicando reajustes salariais em torno de 50%. Depois de uma caminhada, eles se concentraram diante das grades que cercam o Palácio Iguaçu. Uma comissão foi recebida por secretários de Estado, mas não houve acordo. O governo alegou estar limitado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O protesto foi o primeiro de uma série de atos programados até o dia 17 de setembro, quando o Fórum Estadual dos Servidores Públicos do Paraná, formado por 13 sindicatos, pretende deflagrar uma greve geral.O protesto dos servidores estaduais também teve a participação de funcionários federais, que estão em greve, estudantes e de outros sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores. Segundo a Polícia Militar, cinco mil pessoas estiveram no ato. Os organizadores estimaram em 15 mil os manifestantes. Além dos servidores de Curitiba, também vieram aproximadamente 80 ônibus do interior do Estado. Os manifestantes concentraram-se em frente à catedral, onde houve uma celebração religiosa. De lá, foram até o Palácio Iguaçu, carregando bandeiras e gritando palavras de ordem contra o governo. Nas principais cidades do interior do Estado também houve protesto. Em Londrina, cerca de 800 pessoas participaram da manifestação no centro da cidade. Em Maringá, os manifestantes saíram da universidade e foram ao centro, onde se juntaram a servidores federais. Em Foz do Iguaçu, os professores vestiram-se de preto e em Paranavaí, muitos pintaram os rostos. Em muitas escolas estaduais não houve aula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.