Servidores iniciam greve geral nesta segunda

Mesmo com divisões internas, os servidores públicos federais realizam greve geral nesta segunda-feira, cobrando reajustes salariais maiores do que os que foram oferecidos pelo governo. Os sindicalistas apostam em um aumento gradual da mobilização nos próximos dias. Várias assembléias estão previstas para hoje nos Estados e o ato principal acontecerá pela manhã, na Esplanada dos Ministérios. Em todo o País, existem 905 mil funcionários federais ativos e aposentados e pensionistas, sendo 490 mil em atividade. "Essa será nossa primeira atividade para mobilizar os servidores", afirmou neste domingo o secretário geral da Confederação Nacional das Entidades de Servidores Federais (Condsef), Gilberto Jorge Cordeiro. Segundo a Condsef, que tem cerca de 400 mil filiados no País, apenas cerca de 20% desse total deverá aderir ao movimento. A previsão é que não entrem na greve, neste momento, os funcionários do Legislativo, do Judiciário e uma parcela da Educação. O Ministério do Planejamento propõe a aplicação de índices que variam de 12,85% a 32,27% para os ativos e de 9,5% a 29,38% para aposentados e pensionistas. Os funcionários federais querem pressionar o governo a garantir a paridade de reajuste. Além disso, reivindicam um aumento de 50,19% para todos, que seria o equivalente à inflação acumulada desde 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.