Servidores indiciados por violação do painel

A Comissão de Processo Adminstrativo Disciplinar do Senado decidiu pelo indiciamento de todos os servidores públicos envolvidos na violação do painel do plenário. O fato ocorreu em junho do ano passado, na votação secreta da cassação do mandato do então senador Luiz Estevão (PMDB-DF) por falta de decoro parlamentar. Até o dia 18 de agosto, quando termina o perídio de vigência da comissão, o primeiro-secretário do Senado, senador Carlos Wilson (PPS-PE), vai ouvir seus colegas da Mesa Diretora sobre a punição que caberá a cada um dos servidores. A ex-diretora do Prodasen Regina Célia Péres Borges, seus auxiliares Ivar Alves Ferreira, Hermilo Gomes Nóbrega e Heitor Ledur, e o funcionário da Central Elétrica de Brasília (CEB), Domingos Lamoglia, que estava lotado no gabinete de Arruda, estão sujeitos a penas que podem variar da advertência à suspensão, pelo prazo 1 a 90 dias, até à demissão. Eles próprios revelaram ao Conselho de Ética de que forma violaram o painel na véspera da votação. De acordo com a presidente da comissão, Paula Miranda, depois de anunciado o indiciamento, por desrespeito ao Estado do Servidor Público, eles terão 20 dias para apresentarem defesa. Seus argumentos serão analisados pelos membros da comissão que, então, irá submetê-los a Carlos Wilson. A decisão final vai depender dos sete membros da Mesa do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.