Servidores federais mantêm ameaça de greve

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Condsef) afirmou hoje que o indicativo de greve da categoria para a segunda quinzena de abril está mantido, apesar da nova oferta salarial feita terça-feira pelo governo. "O governo jogou para a platéia. As informações de reajustes são irreais", disse o diretor de administração da Condsef, Josenilton Costa.Na proposta do governo, o menor reajuste para servidores da ativa passa de 10,79% para 12,85%. O maior foi de 29,38% para 32,27%. "Isso não é real porque o aumento se dá em cima da gratificação de produtividade" disse. O diretor da entidade assegurou que o principal problema está mantido: o decreto de avaliação de desempenho, que, segundo ele, acaba com o tratamento diferenciado entre os servidores. Outra reclamação é um reajuste menor para os aposentados.A Condsef, que representa 600 mil servidores, levará a proposta do governo para discussão em assembléias nos Estados. Mas o diretor garantiu que é grande a possibilidade de haver greve. "No próximo dia 17 faremos mais uma plenária, mas tudo indica que haverá mesmo paralisação", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.