Servidores do TJ-SP decidem amanhã rumos da greve

A Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e oito outras entidades representativas dos funcionários do Poder Judiciário Estadual não foram ainda intimados da decisão que manda garantir o comparecimento de 60% dos funcionários lotados nos cartórios e outras repartições. A assessoria da Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça disse que o seu presidente José Gozzi só vai se manifestar após ter ciência oficial da decisão. A tendência é recorrer ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, para tentar derrubar a liminar. A decisão final será da assembléia geral, amanhã, às 14 horas, na Praça João Mendes Júnior.O presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, entidade que obteve a liminar numa ação civil pública, disse que reconhece o direito dos serventuários. Entretanto não pode apoiar a greve pelos danos que ela causa à coletividade, com a paralisação de mais de 12 milhões de processos. Ele acrescentou que os advogados estão satisfeitos com a decisão judicial e esperam que os funcionários voltem ao trabalho. Assinalou ainda que a OAB está disposta a apoiar os funcionários quanto às suas pretensões de reposição salarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.