Servidores do Judiciário paulista rejeitam reajuste de 17%

O Tribunal de Justiça ofereceu hoje um reajuste de 17% sobre as gratificações, o que implicaria em aumento de 11% sobre os salários, numa tentativa de por fim a greve dos funcionários do Poder Judiciário, que hoje completa 85 dias. A proposta foi rejeitada pelo comando de greve, que se reuniu com uma comissão integrada pelos desembargadores Demócrito Braga, Ribeiro dos Santos e Walter Guilherme, incubidos das negociações.O TJ alega que os 17% é o porcentual máximo que pode oferecer, porque o governo do Estado não liberou verba. Os grevistas, que pedem recomposição salarial de 26,39%, voltam a se reunir em assembléia geral nesta quarta-feira para decidirem sobre os novos rumos do movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.